segunda-feira, 20 de março de 2017

O Ingénuo - Um Tiro no Escuro!

Afinal, não é assim tão antigo...

Voltaire, cujo nome era, na verdade, François Marie Arouet foi um escritor e filósofo francês do século XVIII, tornando-se uma das faces do Iluminismo. Defendeu sempre os seus ideais, mesmo vivendo num período de grande opressão, tendo, inclusive, sido exilado.


Este autor desafiou os conceitos religiosos da época, opondo-se à intolerância e combatendo o absolutismo. Para esse efeito apoiou-se na escrita, criando grandes obras satíricas que denunciavam a injustiça social.


O Ingénuo retrata a uma história do mais puro e simples amor: aquele que faz tudo pelo que ama, fazendo frente a obstáculos inimagináveis.

Um dia, caminhando calmamente pela praia de Notre-Dame de la Montagne, o vigário de Kerkabon, prior dessa terra, e a sua irmã, a menina de Kerkabon, avistaram uma pequena embarcação inglesa. Daí saiu um belo jovem, que se apresentou como sendo proveniente da Hurónia, um hurão de nome Ingénuo. Este foi acolhido no priorado e bem recebido devido à curiosidade que todos tinham pela sua terra natal.

Após uma série de acontecimentos marcantes, o prior e a sua irmã descobrem que este hurão é, na realidade, filho do seu irmão que tinha partido e nunca regressara. Assim, sem descendência, o prior adquire, como missão pessoal, converter o hurão ao cristianismo e torná-lo seu sucessor no priorado.

Uma jovem, a menina de Saint-Yves, convence-o a ser batizado e torna-se sua madrinha. Tudo muda quando estes dois se apaixonam loucamente. Essa paixão era, no entanto, proibida: ela era sua madrinha. 

Depois de um ataque de uma frota inglesa, no qual Ingénuo defende, arriscando a sua vida, a província de Notre-Dame de la Montagne, este viaja até Versalhes para falar com o rei e pedir permissão para desposar a menina Saint-Yves que, entretanto, tinha sido confinada num convento. Aí, por não estar acostumado aos hábitos e cultura franceses e ser defensor de uma vida livre, é preso segundo a acusação de cooperar com HuguenotesA ordem de prisão nada foi mais do que cartas de um alto membro da sociedade. Nada de provas, nada de julgamento, apenas uma prisão injusta.

Agora, com Ingénuo cativo, a menina Saint-Yves luta pelo homem que ama, encontrando imensos obstáculos pelo caminho e lutando contra tudo e todos. Saint-Yves vê-se confrontada com o pior da humanidade, sendo obrigada a fazer o inimaginável por Ingénuo.


Este livro é, sem dúvida, tocante. Demonstra uma balança entre o bem e o mal que não se encontra equilibrada. Os corruptos ocupam posições de poder e veem-se na possibilidade de fazerem o que quiserem, enquanto os nobres e valentes são sucumbidos às suas ordens.

Ao longo da obra são criticadas diversas classes sociais: o médico que confunde os doentes e os trata da mesma maneira, não ligando à natureza da sua doença; os altos funcionários do governo, que utilizam a sua posição para abusar do poder... Podemos ainda contar com religiosos que moldam a sua fé de modo a encaixar-se na sociedade em que se encontram, tornando-se vis e desmoralizados. O Ingénuo remete, assim, para problemas que ainda prevalecem atualmente.

Apesar de este ser um livro muito antigo, permanece atual, contando com uma linguagem que achei surpreendentemente simples e clara, mantendo sempre traços de escrita arcaica.

Encontro-me feliz pela rubrica "Um Tiro no Escuro!" me ter inspirado a ler esta obra que, de outra maneira nunca teria considerado sequer retirar da estante. Recomendo vivamente e prometo que não se arrependerão de a ler.

15 comentários:

  1. Oi,
    Gostei muito da sua resenha e me fez querer ler o livro agora. Fiquei super curiosa para saber o que aconteceu com Ingénuo e Saint-Yves.
    Parabéns pela resenha.
    Abrçs

    ResponderEliminar
  2. Gostei da resenha, ja li o livro, é muito bom e deixa essa curiosidade ate o final. Amei o blog

    Abraços

    ResponderEliminar
  3. Olá,

    Gostei da resenha, me fez querer ler o livro.

    Amei seu blog ☺️

    ResponderEliminar
  4. Que livro bacana, a história parece ser muito boa e muito reflexiva. Achei muito interessante e fiquei curiosa para ler e entender melhor. Amei!

    ResponderEliminar
  5. Grande François, o mais curioso é que até hoje precisamos desafiar os conceitos impostos pela institucionalização das religiões, ou seja, Voltaire ainda é atual. Aliás, você deixa isso explicito em sua resenha. Há muitos anos, nem lembro quando, li O Ingênuo e acho a releitura excelente para 2017.

    ResponderEliminar
  6. Para ser sincera não me interessei pela leitura.
    Talvez em um outro momento, mas não agora.
    Jo Scarreiro

    ResponderEliminar
  7. Oii,
    Nossa nunca tinha ouvido falar nesse livro e olha acho q a leitura valeu muito a pena pela sua resenha.
    Deve ser um livro muito bom mesmo!

    ResponderEliminar
  8. Oii
    Obviamente já ouvi falar (e até estudei) Voltaire, mas não sabia que o mesmo era autor de romance também. Achei muito interessante a história. Vou procurar na biblioteca da faculdade para ler. =)

    Vícios e Literatura

    ResponderEliminar
  9. Gente, eu nunca ouvi falar desse livro. Lógico que conhecia Voltaire, acho que todos já ouviram falar dele, no entanto, essa história nunca foi conhecida por mim. Me surpreendi por ter sido uma leitura clara para você, me deixando bem curiosa quanto a ela.

    ResponderEliminar
  10. Olá!
    Uau! Eu realmente amei sua resenha e o livro! Conseguiu me deixar muito curiosa e com bastante vontade de ler o livro!
    Adoro leituras que nos fazem refletir. Adicionei na minha lista de desejados e tentarei ler em breve!
    Bjos!

    www.umdiamelivro.com.br
    www.youtube.com/literamigas4

    ResponderEliminar
  11. Olá!
    Não sabia que Voltaire era autor de romance \o/
    Adorei saber um pouco mais sobre o livro é com certeza quero ler, fiquei curiosa com o desfecho da história.

    Beijo

    ResponderEliminar
  12. Oi, tudo bem?
    Adorei a resenha! Principalmente por ser de uma obra de Voltaire, que conheço muito bem. Anotei a dica aqui para ler em breve, pois gostei bastante da obra!

    ResponderEliminar
  13. Olá, adorei a postagem, também não sabia que Voltaire escrevia romance e fiquei bem curiosa, sua resenha está maravilhosa, parabéns! Anotando aqui a dica bjs

    ResponderEliminar
  14. Olá!
    Já tinha visto uma crítica sobre esse livro e foi positiva. Adorei saber como a história se passa e gostei muito do enredo. Se tiver oportunidade vou ler o livro com certeza.
    Beijinhos!

    ResponderEliminar
  15. Adorei sua resenha...nunca tinha lido nada a respeito dessa obra e fiquei curiosa.
    Parabéns!

    Abraços

    ResponderEliminar