segunda-feira, 29 de maio de 2017

Viver Sem Ti

Nem sempre dá para esquecer...


Quando um livro é realmente muito bom, um segundo pode ser ainda melhor ou pode "arruinar" a história para os leitores. 

Viver Sem Ti, de Jojo Moyes, é a sequela de Viver Depois de Ti. Este primeiro volume, na minha opinião, foi simplesmente sensacional. Tem uma história cativante que foge ao cliché que por vezes se encontra em romances.


Mostro-vos as duas capas porque, apesar da da direita ser a versão comercializada em Portugal, que podem encontrar nas livrarias, a da esquerda é o meu exemplar. Encontra-se em Inglês, já que o comprei na Awesomebooks.

Se ainda não conhecem, querem saber mais, ou apenas relembrar alguns pormenores, podem ler a minha opinião de Viver Depois de Ti aqui.

Em Viver Sem Ti encontramos Louisa, uma jovem que perdeu o amor da sua vida, mas que (supostamente) teria encontrado o seu caminho na vida, bem como a vontade de viver. Era isso que estávamos induzidos a pensar tendo em conta o final do primeiro livro, no entanto, não foi isso com que me deparei.

Louisa trabalha num bar de aeroporto, um emprego banal em que era obrigada a usar um uniforme sexista. Esta rapariga não é a Louisa de outrora. Está desanimada, sem rumo... Vive num apartamento em Londres comprado com o dinheiro que Will lhe deixou, mas não se sente em casa, falta algo.

Um acidente tudo muda: Louisa cai do telhado do seu prédio. Todos pensam que se tentou suicidar. Na realidade, ouviu uma voz e desequilibrou-se, caindo. Na ambulância, um paramédico ajuda-a a agarrar-se à vida, mostrando uma simpatia que há muito a rapariga desejava sentir.

Regressa a casa dos pais para recuperar e percebe algo. Está de volta ao ponto de partida, não conquistou nada do que prometeu a Will. Os seus pais apercebem-se disso e fazem-na prometer que irá frequentar um grupo chamado "Seguir Em Frente" quando regressar a Londres.

Lá, depara-se com histórias semelhantes à dela e, ao mesmo tempo muito diferentes. Todos tinham algo em comum: perderam alguém de quem gostavam.

A sua vida dá uma volta ainda maior quando alguém do passado de Will lhe bate à porta. Terá Louisa força para suportar o peso de outra pessoa na sua vida. Terá vontade de arriscar, de novo, no amor? Terá vontade de viver?

Enfim, não vos posso dizer o quão desiludida fiquei com este livro. Não que seja mau, não é, mas simplesmente não deveria existir...

Gostei imenso do primeiro volume e teria ficado feliz se acabasse por aí. Esperava que Viver sem Ti fosse ainda melhor, ou, ao menos, mantivesse a qualidade. Também tenho noção da dificuldade que deve ser manter ou elevar a qualidade após um primeiro volume tão bom, por isso mesmo é que penso que deveria ter ficado por aí.

Achei a história um pouco cliché, podem não entender o que digo, mas quando descobrirem quem é a personagem misteriosa do passado de Will, perceberão. É um tema extremamente comum, enfim, todas as novelas, por exemplo, têm uma dessas personagens. 

Não achei o enredo nada de especial, apenas uma sucessão de acontecimentos um pouco irrealistas intercalados com acontecimentos que poderiam acontecer a qualquer um de nós. Em suma, não achei que a história se agregasse enquanto um todo.

Penso que o que menos gostei foi a mudança que vi em Louisa. Antigamente, cheia de vida, apesar de não ter vivido muito fora da sua zona de conforto, vestia-se de maneira irreverente, alegre, sem pensar no que os outros pensavam. Agora, está embrenhada numa nuvem cinzenta que parece não desaparecer. Substituiu a sua roupa alegre por calças de ganga e t-shirts aborrecidas, perdendo, na minha opinião, muito do que a fazia quem ela era.

Apesar de tudo, a personagem que mais me chamou a atenção foi Sam, o Sam da Ambulância(como lhe chamavam), o paramédico que ajudou Louisa a agarrar-se à vida depois de uma queda inacreditável. Este mostra que, apesar da sua aparência forte, consegue ser uma pessoa boa, fiel, engraçada e, acima de tudo, consegue tratar de Louisa quando ela precisa, quer seja com palavras amáveis, quer seja com um "balde de água fria".

Não digo que a leitura do livro não tenha sido agradável, foi, apesar de , por vezes, um pouco aborrecida. Se me distanciar de Viver Depois De Ti e pensar em Louisa apenas como uma rapariga perdida na vida cujo namorado de suicidou, o livro até é bastante interessante, mas não o consigo fazer. Louisa, para mim, é e sempre será a namorada de Will Traynor.




1 comentário: