terça-feira, 11 de abril de 2017

The Magician's Nephew

Uma agradável surpresa...



Recentemente, como podem ler em aqui, comprei alguns livros em inglês. Um deles chama-se The Magicians's Nephew, de C. S. Lewis. Este é o sexto volume das crónicas de Nárnia, mas o primeiro por ordem cronológica da história. Assim, decidi lê-lo primeiro.




Apesar de não nos ser dito em que época se passa a ação, o narrador conta-nos que é muito antes de uma pequena rapariga encontrar um guarda-roupa e viajar com os seus irmãos para Nárnia.

Duas crianças vizinhas, Digory e Polly, aventuram-se num "túnel" que ligava as várias casas da vizinhança. Nessa aventura, entram no escritório do tio de Digory, no qual o rapaz estava proibido de entrar. 

O tio de Digory, Andrew, após receber uma caixa misteriosa da sua madrinha no leito da morte, pensa que se tornou num mágico. Nessa caixa encontrava-se um pó que permitia viajar para outro mundo.

Andrew nunca se atreveu a viajar para esse outro mundo. Então, quando pôs os olhos em Polly, ofereceu-lhe um anel que possuía algum pó mágico. Polly desapareceu num instante. 

Digory vê-se obrigado a usar, também, um anel para viajar e trazer Polly de volta. Após algumas peripécias acordam Jadis, a imperatriz de Charn, tirana e cruel. Esta segue-os até ao nosso mundo.

Assim, as duas crianças veem-se numa alhada: Jadis está à solta em Londres. Apesar de não ter os seus poderes ainda é implacável. tentando expulsá-la, um culminar de acontecimentos explica o nascimento de Nárnia e o aparecimento do guarda-roupa.

Apesar de estar em inglês, coisa que pensei dificultar a leitura, achei a obra muito leve como se, além de os protagonistas serem crianças, também a história fosse contada por uma criança. Uma linguagem muito simples e repleta de diálogo torna a leitura agradável e fluída.

A personagem que mais admirei foi, sem dúvida, Digory, uma vez que segue sempre os seus instintos e age da maneira correta, mesmo quando se vê tentado a seguir o caminho mais fácil. 

Jadis é implacável, cruel e quase desumana. É apresentada como uma mulher de beleza extrema que, com certeza, não combina com a sua personalidade. Ficamos a conhecer a sua história e percebemos que não foi má só em Nárnia, mas espalhou o terror muito antes disso. 

Assim, fiquei extremamente intrigada com os outros livros! Se gostei tanto deste, que apenas revela o início de uma grande história de coragem e bravura, os outros devem surpreender-me ainda mais!





Sem comentários:

Enviar um comentário